Marcadores

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Não peça-me a lua


Não venha pedi-me a lua
Pois ela é tão minha quanto sua
Não venha pedi-me as estrelas
Pois estão tão longe, mal posso vê-las

Peça-me  amor
Quem sabe uma flor
Tão belas são as cousas corriqueiras,
Peça-me algo tangível, não me peça asneira

Peça-me algo tangível
Ou um sentimento invisível
Te darei de qualquer maneira

Peça-me algo belo
Um sentimento sincero
Mas não peça asneira.


2 comentários:

  1. Poema simples e direto! com alma! gosteidas suas palavras!

    ResponderExcluir
  2. pequeno mas até que é bom

    http://rocknrollpost.blogspot.com/

    ResponderExcluir